Faultlines: sabe o que são e como as evitar?

A criação de equipas de trabalho com o objectivo de enfrentar os desafios do dia-a-dia é cada vez mais comum no sector privado e no sector público e estas equipas são, devido à globalização, cada vez mais diversas entre si, quer em termos culturais, demográficos ou cognitivos. Esta questão não se coloca apenas no caso das empresas multinacionais. É função dos departamentos de Recursos Humanos de qualquer empresa estarem atentos à presente questão já que da mesma poderão retirar dividendos ou enfrentar um conjunto de processos nas equipas prejudiciais para a organização. Da diversidade entre os colaboradores, a psicologia organizacional retirou nos vários anos que se dedicou ao seu estudo um conjunto de conclusões interessantes a ter em conta tais como: - a diversidade levará a uma melhor tomada de decisão, já que numa equipa com colaboradores de diferentes backgrounds académicos os temas serão discutidos de forma mais exaustiva, o que levará a uma tomada de decisão mais sustentada; - a diversidade demográfica (raça, género, idade) encontra-se mais vezes correlacionada com maiores conflitos intergrupais e verificam-se consequentemente níveis reduzidos de performance em equipa. Contudo, as conclusões sobre a diversidade não são sempre lineares, o que levou à apresentação de um novo conceito, as faultlines, que defendem que a diversidade nas equipas per si não é prejudicial mas que o é a criação de subgrupos dentro das equipas/organizações baseadas na diversidade. As faultlines são, portanto, linhas divisórias que levam ao desenvolvimento de pequenos grupos baseados num ou mais atributos. A questão é fracturante e está directamente relacionada com elevados conflitos relacionais, níveis baixos de performance e pior comunicação entre a equipa. É fácil cruzarmo-nos com um ambiente organizacional onde pequenos grupos são salientes: "os provenientes daquela [...]