Ray Human Capital

/Ray Human Capital

About Ray Human Capital

HR Consultant na Ray Human Capital, com experiência em projectos desenvolvimento do potencial e talento, coaching, mentoring, formação, assessment e development centres, quer na perspectiva de identificação de talento jovem, quer na avaliação integrada de profissionais seniores, para empresas nacionais e internacionais. Experiência nos sectores: retalho, tecnologias e telecomunicações, financeiro, saúde, farmacêutica e cosmética.

As Métricas do Recrutamento

Num momento do mercado onde a escassez do talento começa a ser um tema recorrente e onde as necessidades de recrutamento têm de ser geridas com a maior celeridade, é cada vez mais exigente dedicar atenção a um conjunto de métricas essenciais para corrigir e melhorar as suas práticas no que toca ao recrutamento.

By |2017-08-04T16:13:10+01:00Agosto 4th, 2017|Blog|0 Comments

Estou na short-list final. Como me destaco?

Se chegou a esta fase é, por si só, um excelente indicador pois já terá passado, no mínimo, por uma entrevista presencial, ou com a empresa consultora de recursos humanos, ou com o cliente para onde pretende trabalhar. No entanto, acreditamos que aqui é que a competição começa realmente e os pormenores podem fazer toda a diferença para ser o eleito; neste artigo propomos-mos a identificar 5 aspectos a não negligenciar

By |2017-07-17T18:07:51+01:00Julho 17th, 2017|Blog|0 Comments

Soluções integradas na área dos recursos humanos

Por que é que cada vez mais as empresas recorrem a soluções integradas na área dos recursos humanos? Se podemos olhar para uma questão de vários prismas diferentes, por que motivo é que acabamos por adoptar sempre as mesmas estratégias? Porque funcionam? Nem sempre. Porque são as que estão à mão ou são mais comuns? Habitualmente.

By |2017-07-03T17:41:06+01:00Julho 3rd, 2017|Blog|0 Comments

Sobre a importância de estar presente

Com tantos eventos dispersores da nossa atenção, tanto que e para fazer, nem sempre é fácil ter agenda para a quantidade de solicitações que nos chegam. Acabamos por dar resposta aos pedidos, de acordo com a ordem de chegada dos mesmos, priorizando aqueles que são mais urgentes ou se andam a arrastar no tempo ou têm o prazo mesmo a acabar.

By |2017-06-07T15:43:55+01:00Junho 7th, 2017|Blog|0 Comments

Feed your performance!

Recorremos diariamente ao conceito de feedback para solicitar opiniões sobre diversos assuntos quando o termo respeita, sobretudo, ao resultado decorrente de uma determinada situação. Em qualquer dos casos, o mesmo constitui uma ferramenta de comunicação e, no contexto do desenvolvimento do potencial e talento humano, compreende uma retroacção ou devolução de resultados provenientes de uma avaliação, que se requer sustentada por vários indicadores de relevo e que permitem o desenvolvimento de uma análise devidamente justificada. O feedback pode assumir diferentes designações mas, em última instância, deve ser resultado de um processo que pode “vestir” várias formas, entre as quais se destacam os development centres ou as avaliações de desempenho, tais como as avaliações 360o, entre outras. Independentemente da roupagem com que se apresenta, o fundamental é que o feedback mantenha o seu foco no desenvolvimento de competências e que, enquanto processo, o mesmo não finde após a sua apresentação: Concentre-se no conteúdo da mensagem: o melhor modo de aprender com o feedback acontece por via da capacidade da pessoa se posicionar como ouvinte de uma mensagem preciosa. Escutar o feedback sem pensar nas pessoas que possam ter contribuído para o mesmo (quando este resulta de uma avaliação 360o) e centrar a atenção no seu conteúdo e impacto do mesmo, no seu comportamento e relacionamento com os outros, é mais rico do ponto de vista da sua aceitação. O objectivo é que se foque em si e não nos outros. Identifique competências: as competências facilitam a avaliação e apresentam uma direcção para que a pessoa tenha uma “bússola” e possa usá-la para saber para onde quer ir. A verdade é que os profissionais distinguem-se, essencialmente, por competências e, por esse motivo, se queremos evoluir, temos de [...]

By |2017-06-12T12:17:33+01:00Maio 2nd, 2016|Blog|0 Comments

Livre-se das crenças que o limitam e faça acontecer

Desenvolvemos instrumentos e adoptamos novas tecnologias para nos facilitar a vida e tornamo-nos dependentes destes, acabando por trabalhar mais, na medida em que levamos trabalho para casa. Consultamos o email profissional noutros contextos da nossa vida, que não no nosso trabalho. E se por um lado, há quem procure o work-life balance, hoje em dia, começamos a assistir ao work-life integration. Para muitos, uma oportunidade de trabalhar em um outro local que não no escritório da empresa. Para outros, uma dificuldade em “separar as águas” e os mais diversos momentos da sua vida. Deste modo, e enquanto as vantagens do work-life integration tardam em chegar para alguns, é importante dar resposta aos objectivos que gostaríamos de concretizar em cada uma destas duas áreas da nossa vida, a profissional e a pessoal: Livre-se das "vacas" da sua vida: uma série de (des)culpas ou de argumentos, justificações, mentiras, medos, hábitos ou falsas crenças que nos toldam a visão e atam as mãos para agir. Na realidade, devemos abraçar não só os nossos sucessos, como o facto de termos a responsabilidade pelo que fazemos ou deixamos de fazer. Como "nem todas as vacas mugem como vacas" é essencial estar atento às formas que as mesmas podem assumir para usufruirmos do nosso verdadeiro potencial! Pense primeiro, qual a sua “vaca”?! Defina objectivos: específicos, mensuráveis, alcançáveis (mesmo que difíceis), definidos no tempo, de acordo com os seus princípios e positivos. Quando reflectir sobre os seus objectivos que ficaram no passado, feche os olhos e imagine-se a concretizá-los no futuro. Pense se é algo que já foi capaz de fazer antes, se é algo que o entusiasma só de pensar na possibilidade de o realizar, se é algo que o vai [...]

By |2015-11-27T12:42:39+01:00Novembro 27th, 2015|Blog|0 Comments