Para quem pensa em, a curto ou médio prazo, garantir a sua empregabilidade no contexto actual, é necessário consciencializar-se do ritmo acelerado com que as exigências no mercado de trabalho vão mudando! Sendo que não podemos actuar nessa mudança, podemos prepararmo-nos para ela, por forma a darmos resposta àquilo que são as perspectivas actuais do que é valorizado na nova realidade laboral.

  1. Foco na Educação e Desenvolvimento – É importante fazer uma avaliação do percurso feito até agora: de que forma estamos a trabalhar para que o nosso conhecimento seja valorizado em Portugal, na Alemanha ou no Japão? Será que acompanhamos as tendências de desenvolvimento dos restantes países? Vivemos à escala global, em que o conhecimento e competências que adquirimos não são transacionáveis mas sim mobilizáveis, seja por consequência do aumento da mobilidade de perfis altamente qualificados ou pelo desenvolvimento das redes globais que nos colocam ao corrente da inovação de forma imediata. Desta forma, devemos ser proactivos na procura de desafios que nos permitam conhecer o que de melhor se pratica em Portugal e no estrangeiro, tornando-nos “cidadãos do mundo”: fazer Erasmus, frequentar um MBA Internacional, ou simplesmente recorrer a plataformas gratuitas de ensino online!
  1. O perfil dinâmico – Nos dias de hoje não basta sermos bons a fazer tarefas específicas, é preciso muito mais! O desejável é ter o que chamamos “perfil banda larga”, que se mostra como o reflexo do potencial que cada um de nós tem para assumir continuamente funções de maior responsabilidade e enfoque estratégico. E quem estará mais apto, à partida, para desenvolver funções de maior amplitude? Quem procura continuamente colocar-se em situações out of the box encontrar-se-á mais à-vontade para lidar com imprevistos, sendo disruptivo e gerando soluções inesperadas para os problemas do quotidiano. Juntar o Eureka! ao fazer bem é meio caminho andado para conseguir destacar-se dos restantes, e ser notado pelos seus pares e chefias. Faça parte de grupos que o coloquem fora da zona de conforto (desporto, voluntariado, associativismo), conheça outras realidades, e nunca pare de aprender e de se desafiar!
  1. Importância do Networking – A referenciação tem sido uma das grandes fontes de recolocação profissional! Porquê? É através do contacto com outras pessoas que conhecemos diferentes culturas, práticas e opiniões, estimulando a nossa consciência de novas realidades; contudo, é também através desta forma que criamos relações de confiança no contexto profissional. É fundamental ter uma boa reputação no ambiente corporativo e contribuir eficazmente para a nossa empresa e colegas para que consigamos fortalecer a nossa imagem de profissionalismo. Abrindo o espectro, deveremos procurar formas de expandir a nossa rede de contactos de confiança: participe em palestras, congressos, cursos, eventos sociais, que propiciem a troca de experiências com profissionais com os mesmos objectivos, e que nos irão permitir manter actualizados face aos desenvolvimentos no meio. Na verdade, torne-se na pessoa com que gostaria de manter contacto!
  1. Pimp your Linkedin! – Esta é uma ferramenta básica para quem quer ter uma posição de destaque no mercado de trabalho, e que poderá abrir muitas portas a novas oportunidades de trabalho, networking e desenvolvimentos do mercado. Não falando das inúmeras vantagens desta rede, que dicas podemos dar para valorizar o seu perfil profissional? É importante investir num resumo que chame a atenção do recrutador para o restante perfil, já que é a primeira informação visível. Procure destacar-se pelas competências técnicas que o diferenciam dos restantes; qual é o seu forte? São “modelos de imparidade e scoring”, “processos de melhoria contínua” ou “desenvolvimento de business plans”? E já agora, coloque uma foto profissional: os perfis que possuem fotos são vistos sete vezes mais do que os que não possuem uma imagem.

Não há nenhuma fórmula mágica que garanta 100% de sucesso no ataque ao mercado de trabalho. Contudo, este trabalho pode ser feito de forma contínua, gradual, de maneira a que se acumulem práticas mais preditoras do sucesso neste contexto cada vez mais especializado e competitivo.